TRATAMENTO DE FERIDAS CUTÂNEAS DESENVOLVIDAS EM RATOS WISTAR ATRAVÉS DA UTILIZAÇÃO DOS EXTRATOS DE MARACUJÁ (PASSIFLORA EDULIS)

Chirlaine Cristine Gonçalves, Francisco de Assis Cardoso Almeida, Isabella Barros Almeida

Resumo


A pele é o maior órgão do corpo, e corresponde a aproximadamente 10% do peso corporal. A lesão da pele, ou ferida, pode atingir desde a epiderme, até as estruturas mais profundas e, aproximadamente, 30% da população adulta apresentará lesão cutânea aguda e precisará utilizar algum dispositivo na lesão. Dentre os fitoterápicos utilizados no Brasil, a Passiflora edulis (maracujá amarelo) destaca-se por já possuir efeitos positivos na população. Assim, o objetivo da presente pesquisa foi: Desenvolver o extrato hidroalcóolico vegetal das folhas de passiflora edulis a 100% e a 50%. Testar o efeito positivo do extrato sobre cepas de Staphylococcus aureus. Estudar a eficácia do extrato em relação a outros métodos de cicatrização de feridas cutâneas em ratos Wistar. Os resultados permitem concluir que o uso tópico do extrato de Passiflora edulis apresentou um efeito significativo na cicatrização da pele de ratos em relação à área lesionada, sendo o extrato a 100%, o que obteve melhores resultados. Observou-se também que, o uso tópico do extrato associou-se diversos fatores que sugerem efeito benéfico do processo cicatricial, interferindo na celularidade, moderando a reação inflamatória, a qual favoreceu a aceleração da cicatrização em ambas as fases (aguda e crônica).

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.24864/arepb.v7i1.334

A Barriguda: Revista Científica

Centro Interdisciplinar de Pesquisa em Educação e Direito
Campina Grande - PB - Brasil

contato@abarriguda.org.br

Licencia Creative Commons
Os trabalhos publicados em A Barriguda: Revista Científica estão licenciados com uma Licença Creative Commons