A Barriguda

O Centro de Ciências Jurídicas da Universidade Estadual da Paraíba dedicou o dia 15 do corrente à cultura nordestina. Saindo um pouco das suas atividades científicas e de ensino jurídico que lhe são próprias, mas com o entendimento de que direito também é cultura, realizou um dia em que a ciência e a cultura se irmanaram num mesmo propósito, qual seja o de favorecer a integração de funcionários, alunos e professores, num mesmo projeto científico e cultural.

Desse modo, durante o dia foram discutidos temas relacionados com publicações científicas a cargo dos professores José Albenes, Valfredo Filho e Italo Aquino e à noite momentos de cultura com o lançamento da revista A Barriguda e apresentação de artistas locais. Houve declamações dos poetas Wallison e Manoel Soares, cantorias pelos emboladores de coco Condor e Lua Nova e shows de Jessier Quirino e Biliu de Campina. Estes últimos foram respectivamente homenageados com os troféus Marinês e Jackson do Pandeiro, duas grandes e inesquecíveis figuras da música nordestina.

A revista A Barriguda, título retirado de uma velha árvore de mesmo nome existente no jardim do Centro, tem uma particularidade quando comparada com as revistas científicas tradicionais, ou seja, duas veredas de publicação, uma científica e outra cultural. O Centro Acadêmico Sobral Pinto, entidade que congrega os alunos do Curso de Direito do CCJ, já dispunha de um jornal escrito com o mesmo nome, que deixou de circular, tendo as alunas Laryssa Almeida e Natally Coelho e o aluno Vinicius Castro, que são os responsáveis pela editoria da revista, resgatado o jornal sob a forma de revista eletrônica apondo-lhe o mesmo nome. Para dar-lhe sustentação foi criada a Associação da Revista Eletrônica A Barriguda, formada por professores e alunos.

A revista, no entanto, não se trata de um veículo de comunicação do Centro Acadêmico, mas uma publicação com a qual o Centro passa a contar com a participação de seus professores e alunos, já tendo obtido o registro no ISNN, o que a torna conhecida em todo o mundo. Alia-se, assim, a revista A Barriguda à revista Dat@venia, esta publicada nas versões impressa e eletrônica e que se constitui o órgão principal do CCJ para a divulgação dos trabalhos científicos dos professores e colaboradores, sem nenhum demérito para esta que surge com vontade de ficar e revolucionar.

A natureza eclética d’A Barriguda tem como inspiração a hoje buscada interdisciplinaridade no meio científico, a fim de que o conhecimento transmitido não seja estanque em cada uma de suas áreas. Por isto que a revista unindo as atividades científicas com as culturais dá um passo acertado no sentido de aglomerar e movimentar pessoas, estudantes, professores e pesquisadores, buscando a interação desse conhecimento diversificado.

Na qualidade de Diretor do CCJ muito me alegra participar da revista, convicto de que ela trará bons resultados. Mais um canal que se abre dentro das perspectivas de ação do CCJ, acrescentando ao trinômio ensino, pesquisa e extensão a via cultural. De parabéns todos o que fazem o CCJ e por conseqüência a UEPB.

Deixe uma resposta

*