CHIADO…

Por Rau Ferreira*

Xiii… xiii…

A sandália

Arrastava no chão.

– Menino! Anda direito

Desse jeito, pode não.

– Mãeeê, é não!…

É um mau jeito.

– Deixa de ousadia

Conversa fiada;

Sei bem, seu canastrão!

Não é a sapatília.

É não… é falta de péia!

Pau no lombo, João.

Psiu! Lá vem o papai…

Não digas mal

Não digas nunca nãooooo…

Que o pai não gosta

de confusão.

Gosta d’esse meninão

Que arrasta a sandália

Fazendo risco no chão.

(*) Cidadão esperancense, sócio Correspondente do IHCG e sócio Colaborador do IHGP, bacharel em Direito pela UEPB, e autor dos livros SILVINO OLAVO (2010) e JOÃO BENEDITO: O CANTADOR DE ESPERANÇA (2011). Prefaciador do livro ELISIO SOBREIRA (2010), colabora com diversos sites de notícias e história. Pesquisador dedicado descobriu diversos papéis e documentos que remontam à formação do município de Esperança, desde a concessão das Sesmarias até a fundação da Fazenda Banabuyê Cariá, que foi a sua origem.

 

Deixe uma resposta

*